Rotas do Vento Rotas do Vento
Home  » Utilidades » Diversos » Nepal, Tibet: Expedição no Monte Kailash

Nepal, Tibet: Expedição no Monte Kailash


Pontos de Interesse

Kathmandu e os seus bairros antigos;
Visita de Lhasa e os seus monumentos míticos, a destacar o Palácio Potala, a residência dos Dalai Lama e o templo Jokhang, o mais venerado do Tibet.
Visita ao "Lugar das Mil Imagens" - o stupa Khumbum;
Os mosteiros-universidade em Drepung e em Sera;
Visita ao "Lugar das Mil Imagens" - o stupa Khumbum em Gyantse;

Mosteiro de Tashilumpo em Shigatse;
O lago Mansarovar, um local sagrado e de peregrinação;
Caminhada em torno do Monte Kailash na companhia de peregrinos;
Mosteiro de Tashilumpo em Shigatse;
O mosteiro fortificado de Sakya, outrora o centro político do Tibet;
Viajamos ao longo da cadeira dos Himalaias admirando todos os dias panoramas magníficos dos gigantes nevados.



Introdução


Grande expedição no Tibet ocidental para travessia do País ao longo da possante cadeia dos Himalaias e visitarmos o monte Kailash, o centro do universo budista, e realizarmos a peregrinação a pé à sua volta junto com os peregrinos.

Protegido pela inexpugnável barreira dos Himalaias, o Tibet impediu desde sempre a entrada de estrangeiros no território como forma de proteger a sua religião e a sua cultura de influências externas. Governado pelo clero durante séculos, o País viveria mergulhado numa intensa actividade espiritual que descurou o progresso. A economia, o conhecimento e os costumes mantiveram-se num estado primitivo até meados do século XX quando ainda metade da população era nómada, o comércio realizava-se por troca de géneros e subsistiam os servos.
A nossa travessia de Kathmandu para Lhasa oferece-nos a visita dos seus mais importantes centros monásticos e artísticos acompanhados pelo magnífico panorama das grandiosas montanhas nevadas dos Himalaias.
Iremos admirar a imponência e o esplendor dos seus mosteiros, santuários, palácios e fortalezas colocados em locais preponderantes na paisagem insólita do desértico planalto tibetano.
O monte Kailash é o centro do universo budista tibetano e um dos grandes locais de peregrinação a nível mundial. Ao visitá-lo, pelo menos uma vez na vida, todo o budista procura adquirir grande mérito religioso rastejando os 52 km da kora, o caminho de peregrinação que o circunda!
Situa-se numa região inóspita e remota do Tibet central junto ao lago Manasarovar, outro local sagrado e de peregrinação. Neste lago nascem grandes rios venerados por budistas e hindus: Bramaputra, Indus, Karnali e Sutlej.
Iremos percorrer a kora em três dias de caminhada e a admirar os esplêndidos tons turquesa das águas deste grande lago. Teremos uma oportunidade única de contactar com este povo muito religioso e tão alegre ao longo do caminho.
Você irá ter a experiência única de visitar locais carregados de História e de contactar com uma fascinante cultura centenária ainda muito viva.

Geografia

É a mais ampla região montanhosa do Mundo com cerca de dois milhões de Km2 na Ásia Central, delimitada pelas cordilheiras dos Himalaias, Karakoram, Pamir e Kun Lun, com uma altitude média situando-se nos 4000m.

Clima

Continental, de grandes amplitudes térmicas, com escassa chuva durante todo o ano devido à barreira imposta pela cordilheira dos Himalaias.
O período recomendado para se visitar o Tibet é de Abril a Outubro com temperaturas diurnas a atingir os 28ºC.O período das chuvas é de Julho a Agosto, com alguma chuva nocturna e esporádicos aguaceiros durante o dia - é também o período em que o Tibet está mais verdejante e florido.



Programa de Viagem-

D1-D2
: Voos Lisboa-Kathmandu, chegada a Kathmandu, transporte para o hotel em Thamel, o bairro mais característico de Kathmandu. Hotel Fuji.

D3: Dias livres em Kathmandu para visitar os diversos locais históricos no vale: Durbar Square, Swayambunath, Pashupatinath, Patan, Bakhtapur, Boudhanath, etc.

D4: Transporte para o aeroporto e voo Kathmandu-Lhasa (55mn). Magnífico voo sobrevoando os gigantes dos Himalaias, oferecendo um espectáculo único; transporte para o hotel. Hotel Yak Deluxe.

D5-D6: Visitas em Lhasa (3658m): O Potala, o monumental palácio do Dalai Lama com as suas mil salas, dez mil santuários e duzentas mil estátuas que serviu de residência real, mosteiro, sede do governo, escola de lamas, Assembleia Nacional, armazém estratégico de armas e provisões, biblioteca; também contêm os sumptuosos túmulos em ouro dos Dalai Lamas. Diversos fortes e monumentos religiosos, nomeadamente o templo Jokhang (séc VII), no bairro antigo onde deverá deambular pelo Barkhor, o circuito religioso em torno do Jokhang onde cruzará inúmeros peregrinos provindos das regiões mais longínquas do Tibet. Será interessante percorrermos a zona antiga da cidade para apercebermos o que ainda resta desta cultura tão rica e tão singular. Nos arredores de Lhasa iremos visitar os mosteiros de Drepung (séc XV) e de Sera (séc XV).

D7: Dia livre em Lhasa.

D8: Lhasa-Gyantse (3950m) (250 km, 7h). Etapa muito panorâmica. Tomamos a ancestral via das caravanas que se dirigiam para Lhasa, após atravessarmos a ponte sobre o rio Yarlung Tsampo. A estrada subirá até ao colo Khamba La (4900m. Depois descemos para o planalto apreciando a magnífica vista do lago Yamdrok Yamtso, um dos maiores lagos do Tibet. As suas águas são de um esplêndido azul turquesa e tem a forma de um escorpião. Tornamos a subir, até ao colo Karo La (5045m), o local onde o exército tibetano enfrentou em vão as tropas britânicas em 1904. Hotel Yeti.

D9: Gyantse-Shigatse (3900m) (90 km, 3h). Visitamos o espectacular stupa Kumbum, o Lugar das Mil Imagens, inserido no extenso mosteiro de Palkhor Chode e podemos subir ao alto da colina para visitar as ruínas do dzong, a fortaleza medieval, e apreciar uma ampla vista sobre a vila, o mosteiro e as montanhas ao longe. Iremos deambular pelas vielas do bairro antigo onde se apreciará o ambiente pitoresco e a arquitectura tradicional. Gyantse foi a terceira cidade mais importante do Tibet, uma vila que possui um ambiente muito hospitaleiro e que mantém características tradicionais. À tarde viajamos para Shigatse onde visitamos o mosteiro Tashilumpo, um esplêndido complexo arquitectónico formado por várias edificações, contendo admirável riqueza artística. Shigatse é tradicionalmente um importante centro agrícola produzindo uma grande diversidade de cereais e de legumes. Foi outrora rival de Lhasa em poder militar e religioso até que, no séc XVII, o quinto Dalai Lama unificou o Tibet com o auxílio dos mongóis. O seu mosteiro é a sede do Panchen Lama, o mestre do Dalai Lama por tradição e a segunda autoridade religiosa e política do País. Hotel S Lhandrup.

D10: Shigatse-Sakya

D11: Sakya-Saga. Viajamos para o oeste do Tibet, uma região inóspita e despovoada onde poderemos encontrar alguns acampamentos de nómadas pastoreando yaks, cabras, ovelhas e cavalos. A estrada segue ao longo da cadeia dos Himalaias e a vista é soberba. Passamos o povoado de Zongba. Alojamos em albergue simples em Paryang (4700m, 260 km, 8h). Albergue.

D12: A estrada segue ao longo da cadeia dos Himalaias e a vista é soberba. Visita de Chiu gompa, o mosteiro na margem do lago Mansarovar, um local sagrado e de peregrinação. Neste lago nascem grandes rios venerados por budistas e hindus: BramapuptraIndusKarnali Sutlej. Os hindus acreditam que se purificam tomando banho no lago e bebendo a sua água. Albergue em Darchen (4620m) que é o ponto de partida para a peregrinação em torno do monte Kailash, a Jóia da Neve. Este é o centro do universo budista e um dos grandes locais de peregrinação a nível mundial. Ao visitá-lo, pelo menos uma vez na vida, todo o budista procura adquirir grande mérito religioso rastejando os 52 km da kora, o caminho que o circunda! Este procedimento radical toma 2-3 semanas e implica cerca de 25000 prostrações. Albergue.

D13-D14-D15: Caminhada em torno do monte Kailash no sentido dos ponteiros do relógio. A paisagem e o ambiente irão convidar-nos à meditação. Será uma oportunidade muito interessante para comunicarmos com os tibetanos de todas as proveniências com que nos cruzaremos. O caminho apresenta inúmeras manifestações de religiosidade como sejam paredes cobertas com lajes gravadas com orações e figuras, chortens decorados com chifres de cabras montesas e objectos religiosos, inúmeras coloridas bandeiras inscritas com orações que flutuam ao vento.
Alojaremos em albergues, e teremos o apoio de guia e cozinheiro, bem como de carregadores para transporte das bagagens.
O ponto alto da caminhada é o colo Drolma (5636m), o expoente da peregrinação para os crentes, local onde se encontram milhares de bandeiras coloridas com orações e inúmeras oferendas. No final da caminhada alojaremos no mosteiro Chiu, na margem do lago Mansarovar onde tomaremos banho nas nascentes de água quente. Albergue.

D16: Regresso a Saga. Albergue.

D17: Saga-Rongbuk (4980m) (260 km, 5h). Adiante de Shegar desviamos para uma estrada de terra que nos conduz para o interior da cordilheira dos Himalaias através do Qomolangma National Park. Com a visão das majestosas montanhas nevadas passamos por aldeias em locais remotos e veremos tendas de nómadas com os seus rebanhos de cabras e manadas de yaks pastando nos prados. Chegamos a Rongbuk, local onde se encontra o antigo mosteiro nyingmapa, o mais alto do Mundo! Espectacular vista da face norte do Everest. Pernoita em albergue. Everest Guest House.

D18: Rongbuk-Tingri (4390m). Caminhada facultativa até ao acampamento base do Everest, local onde na primavera estacionam as expedições de alpinismo que tentam subir ao cume (1h30). Depois regressamos no caminho de terra até à estrada onde continuamos na milenar via que conduz a Lhasa e seguimos por um agradável vale cultivado até Shigatse (4h). Hotel Tingri.

D19: Lhasa
Regresso a Lhasa.

D20: Voo Lhasa-Kathmandu.

D21: Transporte para o aeroporto e voos Kathmandu-Lisboa.

D22: Chegada a Lisboa.


Condições Particulares de Participação


Inscrição: Deve enviar-nos a ficha de inscrição preenchida junto com 30% do preço. Devido à grande afluência de viajantes nestas épocas, a sua inscrição deverá ser confirmada com a maior brevidade.

Preço: Válido em 2018;

Inclui: Todos os voos mencionados em linha regular, todos os transportes mencionados no programa, alojamento em hotel de boa categoria (3*) em quarto duplo com banho em Kathmandu, Lhasa, Shigatse, Gyantse, alojamentos em albergue simples nas outras localidades e abrigos no monte Kailash, taxas de acesso aos monumentos, assistência de guia tibetano no Tibet, taxas de acesso aos parques naturais Everest, Kailash, Paiko Tso, pequeno almoço em Kathmandu.

Não inclui: Visto nepalês (Eur 35), visto chinês (USD 114), taxas de aeroporto (cerca de USD 25. cada em Kathmandu e em Lhasa), Kathmandu e em Lhasa, seguro de viagem, carregadores para transporte da bagagem caso a estrada perto de Zhangmu esteja aluída, todas as refeições excepto o referido acima, despesas de natureza pessoal, gorjetas.

Nota: O preço dos voos é baseado em estimativas razoáveis para os trimestres futuros. As companhias aéreas poderão impor aumentos de preço dentro de prazos reduzidos por motivos vários que se prendem com economia, segurança e demais exigências legais. O preço dos hotéis e dos voos poderão alterar-se a partir de Outubro.

Acompanhamento
: Guia profissional tibetano falando inglês.

Grupo
: Mínimo de 2 pessoas.

Programa: Em função das condições do tempo, da condição do grupo ou outras justificáveis, a organização poderá alterar o programa.

Documentação: Passaporte válido, 4 fotografias; vistos: chinês, a obter em Kathmandu pela nossa agência, nepalês, obtêm-se no aeroporto de Kathmandu.

Vacinas: Nenhuma obrigatória.

Equipamento: Saco-cama, calçado para caminhar.
Nota: Após asua inscrição receberá uma lista detalhada do equipamento a levar.

Alojamento proposto-
Kathmandu- Traditional Comfort Hotel
Lhasa- Yak hotel
Gyantse- Yeti hotel
Shigatse- S. Lhandup hotel
Sakya- Sakya hotel
Saga- Norbulin hotel
Darchen- Himalaya hotel
Rombuk- Rombuk guesthouse A


tikai-9jun17






Testemunhos