Rotas do Vento Rotas do Vento
Home  » Utilidades » Diversos » Brasil: Jaguares e Tucanos do Pantanal e Longos Areais do Nordeste

Brasil: Jaguares e Tucanos do Pantanal e Longos Areais do Nordeste
Julho 2017


D1:
Voos Lisboa-Brasília-Campo Grande (chegada às 22h40), alojamento em hotel.

D2: Bonito
Transporte para Bonito (5h), alojamento em pousada.

D3: Bonito
Saída matinal para visita da Gruta doLago Azul, onde desceremos 300m até chegarmos ao lago de águas intensamente azuladas. A Gruta do Lago Azul foi descoberta por um índio Terena em 1924 e é um dos mais belos cartões postais de todas as paisagens naturais da região. É uma gruta com 80 metros de profundidade e 120 metros de largura com uma visão de tirar o fôlego. Não é coincidência que a Gruta do Lago Azul é considerada Monumento Natural. O título foi dado em 1978 pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e garante a sua preservação com acesso estritamente controlado. A trilha áspera e uma escada de 300 degraus levam para dentro da caverna, mas nada disso representa um obstáculo para o espetáculo da natureza. Estima-se que tenha uma profundida de 90m e aqui foram descobertos alguns fósseis de mamíferos, a destacar um tigre de dente de sabre e uma preguiça gigante. No tecto observaremos milhares de belas estalactites. Depois para um mergulho nas águas verdes e transparentes do rio Olho d'Água, onde iremos flutuando 1300m ao sabor da corrente, até ao seu término, no rio da Prata. No Recanto Ecológico Rio da Prata a correnteza suave leva os visitantes calmamente por um passeio em um mundo subaquático fantástico, habitado por dezenas de espécies de peixes e plantas aquáticas. Você vai encontrar-se rodeado por várias espécies de peixes do Pantanal, como piraputangas, curimbatás, pacu, piaus e matogrossinhos, entre outros. Existem mais 200 espécies de aves registradas. Mergulhar em Bonito e Jardim/MS são extraordinários e impressiona a transparência da água e da rica biodiversidade do Pantanal. A observação de aves e passeios a cavalo também faz parte das atividades oferecidas no Recanto Ecológico Rio da Prata. As águas do rio são surpreendentemente transparentes e será um imenso prazer observar a enorme variedade de peixes que por aqui circulam. Depois seguimos caminhando por um carreiro através da esplêndida mata primária, com árvores nativas centenárias: perobas, jatobás, aroeiras e outras.

D4: Pantanal
Partida para a Fazenda Pantaneira com paragem na Estância Mimosa. A Estância Mimosa é uma mistura de impressionante de segurança e preservada natureza. Oferece uma experiência de ecoturismo autêntico. Membro da "Experience Tour", um projeto brasileiro que reconhece as empresas que são capazes de inspirar e servir bem os convidados. Excursão principal: trilha e cachoeiras. Uma trilha interpretativa dentro da floresta parando em oito cascatas. Ao longo do caminho, existem pequenas cavernas e mirantes com boa vista para a Serra. Chegos à Fazenda Pantaneira partiremos depois de jantar para um safari de jeep com holofote, para detectarmos animais de vida nocturna: lobinhos (raposa), jaguatiricas, antas (tapir), jacarés, capivaras, cervos, corujas, urutaus, muitos jacarés, e a imponente onça pintada (jaguar). Alojamento na fazenda.

D5 a D7: Pantanal
O Pantanal torna-se na maior área alagada do mundo, durante quase meio ano, onde se acumulam as águas do rio Paraguai de diversos rios que descem do Planalto Brasileiro, a leste. Devido a este fenómeno, a região beneficia de uma fertilidade excepcional e a Natureza apresenta-se com uma diversidade de flora e de fauna impressionantes.
O regime de actividades de safari na fazenda é o seguinte: 1ª partida às 5h30, é a que aconselhamos mais vivamente pois é o período em que os animais diurnos estão mais activos e a manhã ainda é fresca, regresso à fazenda, pequeno almoço às 8h e, 2ª partida às 9h, período de descanso até meio da tarde e nova partida às 16h quando o calor abrandou, última partida depois de jantar cerca das 21h (cada actividade dura cerca de 2h). À noite haverá uma apresentação sobre o Pantanal com projecção de fotos e debate, seguindo-se saída para detecção nocturna de animais usando um holofote.
Os grupos têm número máximo de 6 pessoas, duram de 3-4h, sempre conduzidos por um guia especializado e as actividades são monitoradas via radio para maior segurança dos participantes. No Pantanal terá as seguintes actividades à escolha:

Ordenhar as vacas (aprox 40 min)
Esta viagem começa as 4h30 da manhã! O guia leva o grupo para o curral da fazenda para ver o manejo das vacas leiteiras. Normalmente, esse passeio está associado à equitação. Depois de ordenhar as vacas você retorna para a sede para o quebra torto (pequeno almoço típico do Pantanal) e para a próxima atividade.

Foto Safari em carro aberto na trilha Carandas (aprox 3h)
O Foto Safari é feito na área de reserva florestal e campos de arroz da fazenda. Neste passeio é possível ver animais da fauna local, como o cervo do pantanal, capivaras, jacarés e muitas aves como o jaburu-ave, símbolo do Pantanal. Com sorte você pode ver tamanduás, antas e até mesmo o majestoso jaguar. Durante o safári, você será capaz de andar em uma trilha suspensa construída na galeria florestal do rio Miranda. Este passeio dura cerca de 20 minutos. É possível visualizar o encontro das águas do Corixo São Domingos e do Rio Miranda.

Noite de expedição em busca de animais selvagens (aprox 2h30min)
Pode-se encontrar no Pantanal grande diversidade de animais com hábitos alimentares noturnos. Animais como raposas do mato, jaguatiricas, antas, jacarés, capivaras, veados, corujas e jaguar. Durante a noite, a forte luz utilizada para identificar os animais reflete em seus olhos. Há a possibilidade de encontrar alguns desses animais durante esta viagem noite. O passeio começa na sede da Fazenda São Francisco e dura cerca de 2 horas e meia. Nós viajamos através dos campos de arroz (bom lugar para encontrar os mamíferos) e nas áreas florestais. Durante a estação seca (geralmente entre junho e outubro) é possível atravessar a bela área de Corixo Seco, que tem uma floresta intacta. Nossos carros, chamados jaguarete (Jaguar), Jaguatirica (Ocelot) e Guará (lobo), foram construídos especialmente para esta viagem. Eles são montados em Toyota Pick-ups equipadas com sedes em três níveis diferentes para facilitar a visualização de animais por todos no carro. Os guias que levam você neste passeio são muito bem treinados para procurar por animais durante a noite.

Cavalgada na Savana e Pantanal brasileiros (aprox 2h30min)
A cavalgada é um dos nossos passeios mais interessantes porque você pode conhecer o Pantanal como os "pantaneiros" (pessoas locais), em cima de um cavalo! Nossos cavalos são mansos e utilizados para facilitar a viagem que visa procurar animais. Neste passeio, os guias Pantaneiros, carregam em seu alforje o tereré - bebida típica da região - semelhante ao mate quente, mas com água fria. Existem diferentes lugares onde se pode andar na fazenda. Savana, zonas úmidas (dependendo da época) e também você pode juntar-se ao trabalho dos cowboys (disponível de acordo com o tipo de trabalho que eles estão fazendo).
Notas: O que levar? Chapéu/boné, calças compridas, repelente de insetos e protetor solar. O que está incluído? "guia pantaneiro" e seguro de acidentes pessoais.

Caminhada Interpretativa na Trilha da Vazante com Torre de Observação (aprox 3 horas)
Na parte da manhã saída às 7h00 e à tarde às 15h30 em um carro para começar a caminhada interpretativa na Trilha da Vazante. Atravessarão áreas de vazantes e florestas de reserva da fazenda. A trilha é construída sobre palafitas para que se possa usá-la durante todo o ano. Muitos pássaros, veados, anacondas e outros animais podem aparecer durante a caminhada. No final desta trilha há um relógio de torre de 10m de altura (30 pés), onde você pode ter uma bela vista da bela paisagem.
Observações: O que levar? Calças compridas, sapatos (Snickers), protetor solar, repelente de insetos, chapéu ou boné, água, binóculos e equipamentos de vídeo ou foto.

Nota: A ordem dos passeios acima é definida pelo lodge, que irá entregar a programação das atividades, na chegada dos hóspedes.

No final do dia 7 viajaremos para Campo Grande. Hotel.

D8: 
Voos para Fortaleza (8h14-14h54), transporte para Jericoacoara.

D9Jericoacoara
Dia livre em Jericoacoara. Transporte de manhã cedo em autocarro para Jijoca e daqui em "jardineira" (carro de quatro rodas, de tracção animal) para Jericoacoara (6h), situada em reserva ambiental. Dormida em pousada. Jericoacoara é uma encantadora aldeia costeira, onde as autoridades se esforçam por travar o desenvolvimento urbano para lhe conservar o ambiente tradicional. Por isso, o acesso à aldeia mantém-se por caminhos de areia e de terra. Sugerimos um passeio matinal de buggy pela praia, na direcção da aldeia de Jijoca. A praia é deserta e a paisagem soberba, com múltiplas dunas de areia branca, árvores que crescem na horizontal devido à acção do vento, coqueiros nas regiões povoadas, um mar verde claro onde poderemos observar o desembarque dos pescadores de botes à vela descarregando peixe. Haverá uma sessão divertida a subir e a descer dunas íngremes no buggy! Depois poderemos seguir para a Lagoa Azul, primitiva, de água clara e tonalidades encantadoras. Mais adiante, a Lagoa do Paraíso, onde tomamos um banho. No regresso, poderá visitar Preá, uma típica aldeia de pescadores, onde se almoça na praia. A meio da tarde, caminhada até à Pedra Furada, uma enorme duna à beira-mar, para apreciarmos um pôr-do-sol memorável!

D10: Jericoacoara-Camocim-Delta do Parnaíba
Partida para norte, pela praia, e através das dunas, em jeep, até Camocim (1h30). Chegaremos a Camocim atravessando o rio numa balsa de madeira, manejada por homens empunhando varapaus (paus compridos e fortes). Adiante chegamos a Porto dos Tatus, onde embarcamos numa "voadeira" para navegarmos no delta do rio Parnaíba. O delta contém cerca de 70 ilhéus com destaque para quatro ilhas principais. Iremos navegar em canais estreitos, os igarapés, através do mangal que nos conduzirá às grandes dunas na costa oceânica. O mangal é uma vegetação densa composta por árvores de raízes aéreas em solo de lama e água salobra. Este delta é uma reserva natural dotada de uma rica avifauna com destaque para as garças, os guarda-rios, pica-paus, ibis e os belíssimos guarás de cor laranja vivo. Iremos observar bandos de macacos-prego que se alimentam de crustáceos e iguanas ao sol. Desembarcamos nas dunas do Feijão Bravo para caminharmos até ao mar, e aí tomarmos um banho. Interessante panorama de dunas a perder de vista entre o oceano e o mangal verdejante. Visita da aldeia de pescadores locais, Canárias, onde não existem veículos terrestres e os seus habitantes se mostrarão muito curiosos, pois raramente encontram forasteiros. Pousada em Parnaíba.

D11: Parnaíba-Tutóia. Partida em "voadeira" com destino a Tutóia, navegando ao longo dos canais e passando por múltiplas pequenas ilhas, a destacar uma das maiores, a ilha do Papagaio. Veremos os pescadores lançando as redes de botes à vela ou da margem, ou apanhando o caranguejo-uça que é uma das grandes "riquezas" da região. Talvez consigamos detetar os típicos jacarés-de-papo-amarelo descansando debaixo de raízes com o focinho e os olhos à tona.
Paramos alguma vez nas dunas e ilhas para apreciar a paisagem e o pitoresco contraste das dunas com a vegetação, e para um pic nic. Chegaremos a Tutóia, onde alojamos. (3h)

D12: Tutóia-Caburé. Após o pequeno-almoço, seguimos de jeep até Caburé (2h) pelo areal à beira-mar. Estas longas praias desertas e tranquilas são escolhidas pelas tartarugas para desovar (Nov-Dez). Instalação em bungalows. Tarde livre em Caburé. A região é selvagem e bela, com areais desertos a perder de vista! Poderá caminhar pela praia até à foz do rio Preguiças no final da península, a Ponta da Brasilia, para admirar o encontro do rio Preguiças com o mar (2h). Ao fim do dia poderemos ter a sorte de observar vários e grandes bandos de guarás, atravessando Caburé e regressando ao seu refúgio nocturno.

D13: Caburé-Barreirinhas
Partida de lancha para visitar Mandacaru, uma típica comunidade de pescadores (Caburé não tem acesso por estrada) com subida ao farol para termos um amplo panorama da foz do rio Preguiças, palmeirais e dunas. Paramos para almoçar (não incluído) e seguimos numa lancha para visitar a Área de Protecção Ambiental dos Pequenos Lençóis. Visitamos ainda a encantadora vila de pescadores Vassoura, que se situa junto ao rio. Travessia em lancha da reserva dos Pequenos Lençóis pelo rio Preguiças até Barreirinhas onde pernoitamos.

D14: Barreirinhas-Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses-São Luís.
Depois do pequeno-almoço partimos em jeep para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Caminhada sobre as fascinantes dunas, que podem atingir 50m de altura, com uma paisagem irreal: os Lençóis constituem uma extensão imensa de dunas brancas, onde se acumulou água da chuva que forma lagoas entre elas. Têm 155000ha e ocupam uma faixa de 50 km da costa. Iremos visitar várias e grandes lagoas, apreciando este cenário muito idílico e de extrema luminosidade! Teremos tempo para nadar nestas águas azul turquesa. Faremos uma pausa para pic nic (incluído) e regressamos a Barreirinhas a tempo de apanhharmos o transfer para São Luís (3h30). O bairro antigo de São Luís do Maranhão (séc XVII) é classificado pela Unesco como Património da Humanidade, por conservar o conjunto arquitectónico colonial mais homogéneo da América Latina. A maioria dos edifícios é revestida a azulejos, as ruas são estreitas e sobem as colinas, e teremos o verdadeiro sentimento de percorrer o Bairro Alto em Lisboa, não só devido ao ambiente urbano mas também social, pois encontraremos inúmeras esplanadas, bares com animação e lojas abertas até à noite! Opcionalmente poderá sobrevoar os Lençóis Maranhenses (30m) e apreciar a sua beleza natural (cerca de USD 160). Transfer até ao hotel.

D15: São Luís
Dia livre para visitar o centro histórico de São Luís e para conhecer um pouco da sua história e da sua cultura. Aconselhamos que dedique metade do dia para visitar Alcântara, do outro lado da baía (1h de barco). Esta cidade do séc XVII desenvolveu-se com uma actividade agrícola intensa (algodão, arroz, açúcar), dando origem a uma classe de fazendeiros e de comerciantes abastados que aí construíram os seus palacetes. Está classificada como Cidade Monumento devido à sua riqueza arquitectónica, com os seus mais de trezentos prédios e ruínas espalhadas por três praças, oito travessas e dez ruas.

D16: Transporte para o aeroporto e voos São Luís-Fortaleza-Lisboa.

D17: Chegada a Lisboa.






Testemunhos